terça-feira, 31 de dezembro de 2013

13/14



A última postagem do ano
Não é o último sopro de recolhida
Brindemos pelas palavras
Brindemos pelas vidas
Que sobreviveram
Em um ano que não foi fácil para ninguém
Pois se tivesse sido fácil, teria tido graça?
A graça é isso
Estarmos vivos para contar
Para escrever
E para encher mercados atrás de carne, bebida e suor
Quente 2014, deve ser, vai ser, enfim, que SEJA!


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Fugindo pela chaminé



Quem disse que o ano acabou? Acabou nada e você ainda corre o risco de ser assaltado, ah, eu não fui, ainda, e olha que às vezes me meto em cada buraco, mas nem pode ser a questão do buraco, pode ser a época, final de ano e pessoas gastam, final de ano e as pessoas viajam, pronto, basta isso, dinheiro no bolso junto com décimo terceiro depositado, um viva aos arrastões que deixam você tonto no meio de um shopping que seria um lugar seguro para as compras.

O papai noel não existe, nunca existiu e se ele é alguém presente, só o percebemos em dezembro,  a realidade é pior, existem outros “papais” e até algumas “mamães” que entrarão em algumas chaminés dispostos a levar tudo, até a sua árvore natalina, cuidado, cuidado com os hábitos que incendeiam a marginalidade e que em pouco tempo, nos levarão para fins de ano menos glamurosos e chamativos, boas festas “de aniversário”.


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Ressonância



É o som da fúria
É o suor no rosto
É o dom da culpa
É o odor do corpo

É o sangue na veia
É o ronco do motor
É a raça da negra
É o brilho do amor

Sou eu entrando em parafuso
Junto com o resto do mundo

É o resto do tudo
É o sexo do nada
É a dor do luto

É a cara lavada

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Carta para o " ho ho ho "



Eu não estou em nenhum clima de Natal
Mas para ironizar...

Querido Papai Noel, meu nome é Marcelo, fui muito obediente e me comportei bem, acho...  Não fiz greves e mal protestei, nem atirei bala de borracha em ninguém, além do mais, não tive minha prisão decretada em um feriado, e, além disso, não fiz gol para o meu time, mas ainda bem que ele não foi rebaixado.

Pedi desculpas todas as vezes quando cometi algum equívoco, ao olhar moças interessantes e mexer com elas na rua, ao falar demais na hora de aula, cuspir no prato em que comi e quando falei palavrões quando tropecei na calçada e vou me desculpar pelos votos errados nas eleições.
E por tudo isso, quero de presente ganhar na mega-sena da virada de ano, posso até passar o natal só no peru, mas o ano novo...




terça-feira, 26 de novembro de 2013

Masoquista



O sabor é meu temor

Um lado obscuro

Saturno, satânico

Intermediário e rústico

Estranho, possível e inútil

Útil aos seus olhos

Inimaginável perante os outros...

domingo, 17 de novembro de 2013

É utopia tudo isso



A falta da pobreza

O esquecimento da beleza

O acréscimo sem culpa

O fim da luta

A humanidade humilde

Crueldade não persiste

O jogo sem importância

O mundo agora dança

Um punhado de seriedade

Vivemos e viveremos só de arte
...


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Transeuntes



Para lá
Para cá
Um ser estranho vindo em minha direção
Eu o nego, eu digo não
Escondo-me na calçada gelada
Quem será o próximo a passar
Desumano passo em busca do nada
Quem anda na rua conta sua própria história
E trilha o destino ao sair da casa
Transeuntes felizes
Mas sobreviventes sobre mais um dia

Andando...

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Efeito colateral do ensolarado almoço



Tontura
Formigamento
Tortura
Calor em excesso

Canseira amaculada
Numa forma tensa
A alma pré-assada
Em cima da mesa

Costa quente
Nó na língua
Uma fome aderente
Meio-dia

Em fogo brando
Num sol de esmeril
Estômago em bando
Meu coração partiu

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Água Morta



Nenhuma gota
Nenhum milímetro de gota
Escoa sobre nosso lar
Sobre o nosso chão
Da escada perpendicular

Mas nenhuma gota
Nenhum milésimo
Do milímetro de gota
Foi suficientemente capaz
De ter tido essa variedade

Essa capacidade de molhar
Nosso quintal sentimental
Árido, mofado, intransigente
Que dilata esse abafamento
Seco morto do sexo envolvente

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Azuleiro



Um oceano Um continente Um arquipélago Uma obra prima Obra de arte Máxima Da literatura Da música Da morfologia Sintática E semântica Dessa humanidade Não digo que é a oitava maravilha do mundo Pois estaria fazendo uma injustiça Com o que tem de mais belo Seu olhar azul Uh!

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Desgaste



Também devo estar
Como você já esteve
Ou pode ser que esteja

Desgastado (a)

Com os conflitos familiares
Com os afazeres escolares
Com as aventuras cansativas
Com as inúmeras tentativas
E, além disso, há aquilo de não acontecer.
Não acontecer nada que desclassifique esse período desgastante!

domingo, 29 de setembro de 2013

Mares de Mel



Queria viajar
Para poder avistar
A paisagem tão magnífica
Que parece antecipar
Algum prazer adquirido
Jamais sentido
Por parte deste ser
Que cresceu com o tempo
Incorporou-se de tal forma
Em redundância apetitosa
Preciso prová-la
Na hora certa
Durante um passeio qualquer
Em viagem de férias
Passando por cima das regras
Adocicando ainda mais o pensamento
Delirando todo um processo denso

!!!

domingo, 22 de setembro de 2013

Miojeira



Miojo, sempre comi nas horas boas e más, por isso, decidi colocar o nome do meu filho de Nissin, sim, Nissin, chega de nomes normais, chega de tanto Felipe, Gabriel, André, Mateus, Robson, mudar é bom, já vejo no futuro, eu falando pra ele:
- Vem, Nissin...
- Não, Nissin, Nissin, não...
- Vai comprar um Nissin, Nissin!
E os nada amigos dele na escola implicando:
- Ni o quê?
- Que nome é esse?
- Nissinho? Nissi? Nivaldo?
- Ah miojo, vai se foder!
Nissin certamente nasceria com os cabelos enroladinhos e loiros, com os olhos vermelhos da cor do pó do sabor pimenta mexicana, um dos meus sabores preferidos e diferente do Hulk, ele explodiria depois de três minutos de muita paciência.
Nissin, Deus é fiel e Jesus te ama!

domingo, 15 de setembro de 2013

Calor do Agreste com suas Tietas transeuntes



Tempo seco em plena segunda, e a praia lá, a Bahia lá, as redes lá, estão esperando por mim e aqueles sotaques também, pois aqui tudo perdeu a graça e ainda reclamo do calor.

 Aí estarei lá e também reclamarei e falarei que o melhor a fazer é voltar pra cá com esse calor que não é tão quente, mas aquece, pega fogo, fogo na rede da saia da safada mulher que anda por aí, e eu aqui só no atchim, atchim, atchim, eu resfriado querendo respirar um ar de mar, de um mar do agreste, do sertão que derrete prazer.

!!!

domingo, 8 de setembro de 2013

Dependência ou morte!



Feriado nada independente, ele é dependente, se fossemos independentes, nada funcionaria mesmo em um sábado, isso, em pleno sábado, início de mês, o povo com dinheiro, o comércio aberto, o povo depende de dinheiro, que depende da comida, que depende da mesa com a comida e para isso as lojas precisam abrir, as pessoas se abrem junto e as notas de cem, cinquenta e vinte são gastas e as moedas entrarão nos cofrinhos alheios, se não há isso, é morte na certa.
E olha que eu nem falei nos protestos...

Bom Setembro!!!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Ping Pong



Aí me perguntam, o que você acha desse povo que fica procurando romance e mudando de “amor” a toda hora?

Respondo: São essas pessoas as mais solitárias, pois não conseguem um equilíbrio de relacionamento e por muitas vezes não enxergam que precisam se valorizar para assim conseguirem uma boa companhia, já dizem “o mal do século é a solidão”... E pessoas sozinhas fazem loucuras pelas tentativas e quanto mais tentativas, mais corações partidos, e além de aprenderem a dirigir, comprarem celulares e se arrumarem para festas, as pessoas adoram partir corações. Especializam-se.

Quando alguém aprender a se valorizar e perceber que a melhor companhia pode ser a própria sombra, irá sofrer menos e não teremos casos de depressão e de cara feia por aí. A insistência é algo muito chato, é o ping pong, o vai e volta do namoro e tal, quase sempre termina em casório, ih...
Sem mais!



segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Olecram Respostas



Na faculdade tivemos uma dinâmica para nos conhecermos, isso mesmo, no quinto semestre, acho que mesmo nesse período, muitos não se conhecem e talvez nunca se conhecerão para valer, pois só com convívio, mas a dinâmica mostra que é interessante essa busca do conhecimento humano por meio de respostas, mesmo algumas sendo muito batidas, bom, eu as respondi assim:

O que eu mais gosto de fazer: Ler, escrever, viajar, comer biscoitos e contar moedas para comprar os biscoitos, ter dinheiro também para fazer as coisas que gosto de fazer, mas ainda há coisas que não precisem de dinheiro.

O que eu menos gosto de fazer: Acordar e levantar cedo e ter que ficar em casa muito tempo, é um enfado, é um tédio.

Uma qualidade minha: Paciente, gentil e bem-humorado.

Um defeito meu: Inseguro e atrapalhado.

Pretendo chegar a ser: Um escritor famoso, pois escritor quase famoso já sou, além disso, um ser evoluído a cada profecia maia que possa aparecer.


As poesias voltam em breve no blog!



sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Maldade



Humanos maltratam humanos

Humanos maltratam animais

Animais não maltratam humanos

Humanos não deviam maltratar animais

Pois humanos já maltratam humanos

!!!

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Querer nunca foi poder



Pois é, é isso mesmo
E não venha dizer que é ao contrário
Que irá cair coisas do céu
Ou que efeitos especiais enfeitarão seus sonhos
A vida é assim mesmo
E se ninguém fazer nada pra mudar
Continuará tudo na mesma
Então vamos além de querer
Vamos tentar
E enfim ter o poder
Pra ir atrás da fortuna
Sobretudo
Da sobriedade dessa luta
Querer nunca foi poder
E já que não é
Vou levar o lixo pra fora
Lembrar da festa da semana passada
Pois sempre será isso
Os dias do lixo pra fora
E as noites das festas que acabam
Que pena que acabam
Que pena que querer nunca foi poder

(Fim de férias, fim de farra)
...

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Brinde



Bundas
E
Bocas
Excitações
E
Fatalidades
Moças e rapazes
Mulheres grandes
Caras ultrajantes
Calças Jeans
E
Sorrisos melosos
Sol quente
E
Corpo frio
Bandas de rock
E
Brandas de sorte
Viva o espetáculo nas calçadas
O sorriso que sai fácil mesmo sem piada


Texto de dois anos atrás, que sempre quis postar, eis aí a chance!
Brindemos...


segunda-feira, 15 de julho de 2013

Ida-de


Idade dos buracos na cara
Idade da tirana barba
Idade de se escutar os outros
Idade de se deixar levar pelos sonhos

A idade só avança
A idade se conquista
A idade se arranca
A idade dança em nossa pista

Nossa idade não diz tudo sobre a gente
Nossa idade reafirma que estamos no presente
Nossa idade diz que tudo é mero consciente
Nossa idade na verdade até mente

Mentir
Vir
Sentir
Ir

A ida da idade é a morte
Mas a vida é todo o tempo
Pra
Viver
Contar
Ter
E depois
Esquecer
...

Palavras de um ser que completou seus vinte e dois anos de idade na última semana, acho essa idade emblemática, mas enfim, viver é uma arte, uma graça!!!

domingo, 7 de julho de 2013

Medo do Tempo


Por vezes, às vezes e quase sempre vejo
Sinto uma espécie de temor em relação ao tempo
Nesse compasso de tudo envolvendo o andar extremo e rápido
Estamos no meio do ano, consequentemente, já é um marco
De falar que tudo andou rápido e que daqui pra frente mais intenso
O passo estará e sempre esteve desse modo, dessa maneira, ligeiro
E não há ser mais paciente do que ele para controlar
Interceder, perdoar, entender, valorizar, crer e alimentar
Tudo que há nesse espaço entre idas e voltas, restos e sobras
Do tempo
Tempo este tão sádico, esperto e mortal
Que dá um certo medo atemporal

!!!

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Alternância



Todos esses salões hoje ocupados

Estarão vagos em breve

Todos esses corações despedaçados

Ficarão abertos para romances em tese

Todos esses pequenos relatos

Serão esquecidos por essa febre

Exemplificando

Aquela máxima de que nada dura para sempre
...

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Caminho é tudo



Pra quê tanta pressa?

A noite é longa
A bebida é malvada
A história é boa
E a estrada é asfaltada

O sonho é eterno
O choro é passageiro
O riso é certo
E o dom é instrumento

O amor é peça chave
O ódio é corrosivo
O prazer é à la carte
E o irônico é construtivo


quarta-feira, 12 de junho de 2013

A Febre do Amor



Acalorado sentimento involuntário
De minha e da parte de algum ser quente
Alguém extremamente febril, em chamas
Queimando em desejos submersos
Mergulhado em níveis românticos
De qualquer categoria devastadora

Pois é um atordoado devaneio num instante
Já não sei caracterizar esse suor
Fruto de uma bactéria contagiosa
Que poderia ser universal
Tomar conta de todos os lares e corações sórdidos
Seria, de certo modo, fundamental

Uma nova peça para mover o mundo
Um novo propósito para uma sublime vida
Ninguém terá a cura para esse amor
Que esquenta as entranhas divinas da caridade
E nos permite prolongar qualquer viagem
Entre corpo, coração e mente, ambos, ardentes


Mera coincidência postar esse texto que escrevi semana passada em pleno dia dos namorados!!!

terça-feira, 4 de junho de 2013

Frio nas costas



Tremor nas costelas
Num terreno brando
Costelas geladas
E as cobertas esperando

Para o esquentar
Tornar-me quente e disposto
A encarar o dia de garoar
E não ir ao fundo do poço

Aqueço as costas
Com o pano da blusa
As ruas estão tortas
Pelos pingos da chuva

Bom mês de Junho, leitores
!!!

domingo, 26 de maio de 2013

Doentes



É preciso de problemas no coração
Para haver cardiologistas

É preciso de problemas na pele
Para haver dermatologistas

É preciso de problemas emocionais
Para haver psicólogos(ou psiquiatras)

E é preciso de problemas na alma
Para haver poetas

Bom final de Maio
!!!

domingo, 19 de maio de 2013

Intriga mundial



Já começa ao nascer
Os bebês choram disputando a atenção das mães

E as crianças em sala de aula
Já ficam naquele joguinho “eu não sou mais seu amigo”

E quando crescem, só fazem piorar
Brincam até de “guerra”


Intrigas, algo que já vem da infância
!!!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Bolsa Vergonha



Depois da ou do Bolsa Família, enfim...
(Bolsa para quem só sabe fazer filho e não fazer trabalho)
Como é que é?
Bolsa Crack?
Bolsa auxílio para dependentes químicos?
E a Bolsa Vergonha na Cara?
E a Bolsa da palhaçada geral?
Daqui a pouco terá Bolsa Sutiã para as feministas lá que vivem tirando a roupa até em velório...
Viva a carência do país que é carente de bons governantes!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Presta Atenção, menino



Olá Pesssoas,
Este texto é para falar do sentimento de posse das pessoas

Não foi você que comprou o vídeo-game
Quem te deu foram seus pais
O lanche que você comeu foi também comprado por eles
Não venha dizer que aquela é a sua casa, ela é da família
Se não for casa alugada, um dia será sua, um dia
E, por favor, sem essa de que eu conheço a sua rua
A sua rua não é sua e nem de seus pais
A rua pertence ao dono do nome em que há nela

Bom Mês
!!!


quarta-feira, 17 de abril de 2013

Rapidinhas



Vocês lerão trechos de coisas escritas por mim nessa última semana:


Salário ó


O povo vive falando que não ganha bem
Mas, por outro lado, esse povo "gasta muito mal"


Queria comer

O que é do homem
O bicho não come
Só se quiser...

Paia

Quase tudo nessa vida
É “fogo de palha”
Eu disse quase tudo

Astigmatismo

Enxergo bem, acho que quero uns óculos para enxergar menos, talvez a felicidade seja alcançada dessa forma.

 Ser vagal

Cara, isso não é desmotivação
Isso não é preguiça 
É vagabundice mesmo
Ou vagabundagem, como preferir!

!!!